Cuidados a Ter ao Criar Uma Marca

cuidados-a-ter-ao-criar-uma-marca
cuidados-a-ter-ao-criar-uma-marca

TOP 7 Cuidados a Ter ao Criar uma Marca

Quando se trata de criar uma marca, há muitos fatores que podem resultar no seu sucesso ou fracasso. Desde o design do logótipo até ao tipo de comunicação utilizada na publicidade, cada elemento desempenha um papel na formação da perceção da marca pelo seu público-alvo. Para garantir que a sua marca é um sucesso, é importante evitar certos erros que podem comprometer a sua eficácia. Neste artigo, vamos explorar os 7 principais cuidados a ter ao criar uma marca única e memorável, mas antes disso, vamos perceber as principais razões pelas quais a identidade corporativa é essencial para o sucesso de um negócio.

TOP 7 Cuidados a Ter ao Criar Uma Marca

1) Evitar usar a IA para naming

Robotic and human hands touching in reference of "The creation of Adam" painting

Nós sabemos que a inteligência artificial tem as suas vantagens, mas há algumas coisas a considerar antes de nomear a sua empresa através de um site gerador de nomes aleatórios ou uma mistura de abreviações. Evitar o uso da IA e abreviações aleatórias para naming previne consequências negativas para o seu negócio.

O uso de nomes gerados por IA pode levar à falta de conexão humana e ressonância emocional com os clientes. Os clientes podem perceber a marca como fria, impessoal ou carente de criatividade. Isso pode dificultar a construção de uma base de clientes fiéis e a diferenciação da sua marca. Além disso, na maioria das vezes, é apenas uma mistura de dois nomes aleatórios que não têm relação com o próprio negócio; é confuso para os clientes e uma barreira para a publicidade.

Abreviações aleatórias são difíceis de ser percebidas e lembradas pelos clientes. Se a abreviação não for intuitiva ou fácil de pronunciar, estes podem ter dificuldade em encontrar a sua empresa online ou através de recomendações boca a boca. Isso pode levar a uma redução do reconhecimento da marca, da eficácia das estratégias de marketing e, finalmente, da receita.

Se a sua nova empresa usa apenas algumas letras, a menos que já seja bem conhecida, há o risco de ser difícil de memorizar. A GAP é um exemplo que ilustra essas circunstâncias. Muitos pensam que “GAP”  significa algo, mas não se trata do caso. Inicialmente, o objetivo era atingir a geração mais jovem – na verdade, o nome refere-se à lacuna geracional da época. Levou anos para se tornar o enorme negócio que é hoje, e neste caso, o nome funcionou, mas vale a pena correr o risco?

Além disso, o uso de nomes gerados por IA ou abreviações aleatórias também podem levar a questões legais. Se o nome for semelhante a uma marca existente ou infringir direitos de propriedade intelectual, pode vir a enfrentar ação legal ou sanções governamentais. Escusado dizer que seria muito caro e prejudicial à reputação do seu negócio.

De uma forma geral, evitar usar a IA para naming ao criar uma marca é importante para criar uma forte conexão emocional com os clientes, melhorar o reconhecimento da marca e evitar problemas legais. Escolher um nome que reflita com precisão os valores da sua marca, personalidade e público-alvo pode ajudá-lo a construir uma identidade forte e impulsionar o sucesso a longo prazo.

2) Fugir de nomes clichê

Aqui apreciamos o que é antigo e vintage, mas quando se trata criar uma marca única e memorável, existem alguns nomes que já foram usados excessivamente.

Isto é especialmente verdade para empresas de países estrangeiros que optam por nomes em inglês – pergunte a si mesmo se é realmente necessário, e quem é o seu público-alvo. Teriam dificuldade em pronunciar algo noutra língua? Se for o caso, a solução muitas vezes é usar um nome em inglês, mas tenha cuidado com as palavras “infinity”, “balance”, “vision” e “art”.

Usar nomes clichê ao criar uma marca pode limitar a sua capacidade de se diferenciar dos concorrentes e tornar mais difícil criar uma identidade de marca forte, uma vez que são muito usados e pouco originais. Daí ser um dos cuidados a ter ao criar uma marca.

Além disso, pode sinalizar para os clientes que a sua marca é pouco criativa e original. Isso pode levar a perceções negativas e reduzir a confiança do cliente, o que, em última análise, afetará a sua receita.

3) Ter uma oferta seletiva de serviços

Ice cream options in a shop

Quando uma empresa oferece muitos serviços, mas não é especialmente boa em nada, muitas vezes é conhecida pelo seu paradoxo da escolha. Isto significa que, embora se apresente aos clientes um grande número de opções, estes podem ter dificuldade em tomar uma decisão devido ao número esmagador de escolhas disponíveis.

Este cenário torna-se problemático para uma empresa, porque pode originar uma redução na satisfação e lealdade do cliente. Os clientes ficam frustrados com o processo de escolha de um produto ou serviço e, por fim, decidem ir à concorrência.

É compreensível que queira oferecer aos seus clientes uma ampla variedade de produtos e serviços, mas demasiadas opções acabam por ser desnecessárias. Assim como a sua gelataria favorita, a sua marca não precisa de 31 sabores para satisfazer o seu público-alvo. Às vezes, apenas uma oferta seletiva é o suficiente para fazer com que voltem mais vezes. Oferecer muitas opções pode diluir o foco e a especialização da empresa. 

Para simplificar, no design dizemos: menos é mais. Uma filosofia a ter-se em mente, especialmente no que toca a escolher os serviços ou produtos que a sua empresa irá fornecer. É melhor ser realmente bom em poucas coisas e ser reconhecido por elas, do que ser medíocre em várias.

Um dos cuidados a ter ao criar uma marca é focar-se nas suas  competências principais e oferecer uma seleção limitada, mas bem selecionada, de produtos ou serviços. Ao fazer isso, a empresa pode construir uma forte reputação e facilitar a tomada de decisões de compra dos clientes.

4) Evitar usar e-mails não profissionais

Tudo bem, tudo bem, acontece com os melhores de nós, sem julgamentos. Todos já tivemos aqueles endereços de e-mail divertidos, mas talvez seja hora de aposentar o “catlover123” e mudar para algo mais profissional. Afinal, não quer perder aquela grande oportunidade de negócio só porque o seu endereço de e-mail deu a entender que era uma pessoa louca por gatos.

De facto, isto pode criar uma primeira impressão negativa com potenciais clientes. Faz com que o negócio pareça pouco profissional, não confiável e até imaturo. Automaticamente leva a oportunidades de negócio perdidas e à perda de credibilidade aos olhos do público-alvo.

O endereço eletrónico é uma parte importante da presença online da sua empresa e optar por um e-mail profissional pode ajudá-lo a construir uma marca consistente e reconhecível. Um endereço de e-mail pouco profissional, por outro lado, pode prejudicar a sua marca e dificultar o estabelecimento de uma presença online forte.

Outro aspeto a ser levado em consideração é que usar um endereço de e-mail pouco profissional pode representar um risco de segurança. Se o seu endereço de e-mail for fácil de adivinhar ou baseado em informações pessoais, isso pode facilitar a entrada de hackers na conta e o acesso a informações sensíveis.

Além disso, usar um endereço de e-mail pessoal para fins comerciais pode levar a confusão e mensagens perdidas. Também pode dificultar o acompanhamento de correspondência comercial importante e levar a oportunidades ou prazos perdidos. Por isso lembre-se de ter este cuidado ao criar uma marca.

5) Definir o público-alvo

Finance man checking graphs

Este pode parecer básico, e é, mas muitas pessoas que começam um negócio não percebem a sua importância. Sem uma pesquisa adequada, um negócio falha na perceção da base ideal de clientes e no desenvolvimento de estratégias de marketing que lhes agradem. Isto leva a estratégias de marketing ineficazes, resultando num baixo número de vendas e/ou clientes.

Não tentaria vender molho picante a alguém que não gosta de comida apimentada, certo? Aplica-se a mesma lógica à sua marca. É necessário saber quem é o seu públicoalvo e personalizar a marca às necessidades e preferências do mesmo. 

Uma pesquisa inadequada sobre o público-alvo pode resultar em recursos desperdiçados. As empresas vêem-se a investir tempo e dinheiro significativos em campanhas de marketing que não são eficazes ou atraentes para o seu públicoalvo. 

Sem uma pesquisa adequada, os negócios podem ter dificuldade em diferenciarem-se dos concorrentes e destacarem-se no mercado. A pesquisa sobre o público-alvo pode ajudar a identificar os pontos de venda únicos e as vantagens competitivas de um negócio. Pode também levar a um produto ou serviço que não atende às expectativas do cliente, resultando em críticas negativas e baixa satisfação do cliente.

6) Não depender do Canva para criar a identidade da marca

Antes de mais, temos de dizer que não há nada de mal com o Canva. É uma plataforma barata, acessível e fácil de usar para design gráfico e conteúdo visual com diversos fins. Embora o Canva possa ser uma ferramenta útil para projetos de design específicos, mesmo para pequenos negócios independentes, não é recomendado para criar a identidade visual ou os elementos de branding da sua marca.

Em termos técnicos, o Canva não é um programa baseado em vetores, o que significa que não pode criar uma imagem e alterar o seu tamanho sem perder qualidade. Seja para usar online, fazer um banner ou estacionário, estes são todos tamanhos diferentes e os vetores servem para manter a qualidade da imagem, o que o Canva não consegue fazer.

Algo que muitas pessoas desconhecem, é que, como os templates do Canva são personalizáveis e acessíveis a qualquer pessoa, significa que os seus direitos sobre o logótipo são não-exclusivos; em termos legais, não é possível registá-lo como marca comercial. O mesmo se aplica ao Adobe Stock, por exemplo, cujas letras pequenas afirmam que, uma vez que a plataforma concede apenas o direito de usar as imagens mas não transfere a propriedade, nenhum dos materiais fornecidos pela plataforma pode ser usado em ou como um logótipo. Usar um logótipo não protegido por direitos autorais pode causar problemas legais no futuro, portanto, se possível, é melhor ter este cuidado ao criar uma marca.

7) Investir na identidade visual corporativa

É verdade, a apresentação da sua marca pode ter um grande impacto na forma como é percebida pelos clientes.

Pense nisto – quando está nas redes sociais ou a andar pela rua, o que chama a sua atenção? Normalmente, é algo visualmente atraente ou interessante, certo? O mesmo vale para a sua marca. Se o seu logótipo, paleta de cores e estilo visual geral forem bem desenhados e apelativos, terá mais chances de chamar a atenção das pessoas e causar uma boa primeira impressão.

Mas não é só uma questão de beleza. Uma forte identidade visual também pode ajudar a construir o reconhecimento e a consistência da marca. Ao usar as mesmas cores, fontes e elementos de design em todos as campanhas de branding, é criada uma imagem coesa e unificada que é facilmente reconhecível, com valores e mensagens bem vincados. Além disso, parece mais profissional e organizado.

E não podemos esquecer o impacto emocional. Acredite ou não, as cores, fontes e elementos de design  podem evocar certas emoções nas pessoas. Então, com uma escolha correta, é capaz de criar uma forte conexão emocional entre a sua marca e os seus clientes. E quem não quer clientes emocionalmente investidos na sua marca?

De facto, dá para perceber a importância da identidade visual depois destas razões expostas. Assim sendo, não economize no trabalho de design. Sabemos que há sempre alguém a fazer mais barato, mas vale a pena investir numa identidade visual bem desenhada e ver a sua marca alcançar novos patamares de reconhecimento, consistência e conexão emocional.

Conclusão

Depois deste artigo fica então a perceber os melhores cuidados a ter ao criar uma marca.

Evitar usar IA para naming previne uma falta de ressonância emocional com os clientes, dificuldade no reconhecimento da marca e até problemas legais. Por outro lado, fugir de nomes clichê é importante para se diferenciar dos concorrentes e construir uma identidade de marca forte, com a qual os clientes se possam conectar.

Além disso, a sobrecarga de escolhas pode ser um problema real para as empresas que oferecem muitas opções de serviços e/ou produtos, portanto ter uma oferta seletiva constrói uma reputação forte de qualidade e expertise. Ainda nesse campo, a oferta deve ser de acordo com o público-alvo previamente definido.

É essencial ter um endereço de e-mail profissional que represente a sua marca e comunique confiabilidade e confiança aos seus clientes. 

Por fim, ao planear a criação de uma marca deve-se orçamentar um investimento para identidade visual. Além de ser algo com retorno garantido a longo-prazo, é uma solução mais duradoura e fiável do que depender de plataformas como o Canva.

Em resumo, criar uma marca de sucesso requer uma consideração cuidadosa dos seus valores, personalidade e público-alvo. Se aplicar estes 7 cuidados ao criar uma marca conseguirá diferenciar-se dos seus concorrentes, estabelecer confiança com os clientes e impulsionar o sucesso a longo prazo para o seu negócio. 

Acima de tudo, divirta-se a criar marcas únicas. Se precisar de ajuda, pode sempre contactar-nos e pedir um orçamento.